sexta-feira, 26 de julho de 2013

Brincadeira acaba mal

  Adolescente finge assalto e acaba baleado por policial militar em Teutônia
        Menino de 16 anos e dois amigos usavam capuz e armas e planejavam brincadeira com professor.
 
 
         A brincadeira de três adolescentes terminou com um deles baleado por um policial militar em Teutônia, no Vale do Taquari. Os meninos planejavam um assalto fictício a um professor deles, que estava a caminho do churrasco do qual participavam, quando uma patrulha da Brigada Militar foi acionada e identificou a situação como uma tentativa de assalto.
          O adolescente de 16 anos foi atingido no tórax e encaminhado ao Hospital Ouro Branco. Segundo a instituição, ele passou por uma cirurgia para retirar o projétil e o quadro dele é estável, sem risco de vida.
         De acordo com o responsável pelo Comando Regional do Policiamento Ostensivo (CRPO), coronel Antônio Scussel, por volta das 21h desta quarta-feira, a BM recebeu a ligação de um morador relatando que três pessoas encapuzadas e armadas estavam tentando assaltar uma casa. Uma patrulha então teria sido enviada ao local com dois PMs.
         — Eles chegaram lá, viram os rapazes e pediram que largassem as armas. Os meninos então fugiram e os policiais dispararam dois tiros, um para o chão e o outro para o alto, para fazê-los parar. Nisso um dos meninos se virou com a arma apontada para os PMs e acabou sendo atingido por um tiro — afirma Scussel.
         Segundo o comandante, as armas de brinquedo, que foram apreendidas depois, são pretas e muito parecidas com armas de fogo. Ele reforça, ainda, que era tarde e escuro, dificultando a identificação da situação.
          — Para completar, o bairro Canabarro, onde ocorreu a ação, é o bairro com maior índice de criminalidade do município. Tinha tudo para ser de verdade e os policiais agiram como numa situação convencional de roubo — garante Scussel, acrescentando que um inquérito policial militar foi instaurado para avaliar a ação dos policiais.
            O caso também está sendo investigado pela Polícia Civil. Um dos adolescentes, de 17 anos, já prestou depoimento.
            — Ele confirmou que era uma brincadeira e que foi de mau gosto, que não pensaram nas consequências. Agora vamos colher mais depoimentos e provas para encaminhar para avaliação da Justiça — afirma o delegado Mauro José Barcellos Mallmann.
            O delegado ainda alerta para o perigo desse tipo de brincadeira. Segundo ele, o risco de que algo dê errado, como alguém sofrer um problema de coração, de alguém reagir ou até mesmo de uma ação policial, como no caso de Teutônia, é muito alto.
Fonte: Site Zero Hora

Nenhum comentário:

Postar um comentário